Capitolio


Fundos de pensão adiam alocações em bolsa

24 de março 2020

Os planos dos fundos de pensão para aumentar sua exposição em renda variável entraram em compasso de espera com o declínio das bolsas em todo o mundo, sob o impacto da pandemia do novo coronavírus. Para parte do mercado, as NTN-Bs de longo prazo voltaram a ficar atrativas, pagando prêmios em linha ou acima das metas atuariais, e podem até voltar a ocupar o espaço reservado para a bolsa.

Com exceções, a alocação das fundações em bolsa não chega a 10% e havia o consenso de que iriam começar a aumentá-la este ano em virtude da redução dos juros. Muitas iniciaram o ano com caixa para fazer alocações em renda variável. Em janeiro, uma parte pequena de alocações foi feita, diz o sócio da consultoria Aditus, Guilherme Benites.

Veja mais

Autor: Juliana Schincariol
Referência: Valor Econômico