Capitolio


Hospitais podem cobrar a mais por remédios, diz juiz

13 de fevereiro 2020

Ação foi movida pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Sindhosp)

O Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Sindhosp) informou ontem que ganhou ação judicial contra a Resolução Cmed 02/2018, da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, que proibiu os serviços de saúde (hospitais, clínicas e laboratórios) de ofertar medicamentos aos pacientes e às operadoras de planos de saúde por valor superior ao de compra, obrigando os estabelecimentos de saúde a comercializar os remédios no mesmo preço da nota fiscal de compra.

Segundo dados da Associação Nacional de Hospitais Privados referentes aos ano passado, o item medicamento representa 24,66% da receita de um hospital, seguido por materiais 20,36% e diárias e taxas 21,65%.

Veja mais

Referência: Valor Econômico