Capitolio Consulting


Não Vale

15 de julho 2019

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu sindicância para apurar se houve infração ético-profissional no atendimento médico por videoconferência lançado nesta semana pela operadora Amil One e prestado pela equipe do Hospital Albert Einstein.

Argumentos – O Cremesp entende que, hoje, prevalece uma resolução que veta consultas por telefone ou internet. A posição é a mesma do CFM (Conselho Federal de Medicina), que já havia afirmado que a postura da Amil seria “alvo de apuração e outras providências”.

Resposta – Em nota, o Albert Einstein afirmou que “observa os princípios do Código de Ética Médica” e os direitos constitucionais de “liberdade de exercício profissional”. O texto diz que o hospital “está preparado para defender as suas posições nos foros em que se fizer necessário”.

Autor: Monica Bergamo
Referência: Folha de São Paulo