Capitolio Consulting


BB e BNDES tentam venda de seguradora de crédito

15 de maio 2019

Coluna do Broadcast

O Banco do Brasil e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estão em conversas avançadas para vender a fatia que detêm na Seguradora Brasileira de Crédito à Exportação (SBCE) e o negócio pode ser anunciado em breve. A compradora é a própria controladora da companhia, a francesa Coface, que negocia tais participações nos últimos anos. Juntos, BB e BNDES por meio do seu braço de participações, a BNDESPAR têm pouco mais de 24% da SBCE. A Coface responde pelos outros 75,82%. A negociação tem chances de sair desta vez em meio à agenda de privatizações e desinvestimentos do governo de Jair Bolsonaro. No balanço do BB, a SBCE está contabilizada com um valor de R$ 3 milhões.

Pioneira. Fundada em 1997, a SBCE foi a primeira seguradora de crédito à exportação no Brasil. No passado, outros grandes nomes do setor como Bradesco, SulAmérica, Unibanco e Minas Brasil detinham participações na seguradora e também deixaram a sociedade. Até março de 2019, a Coface, que controla a SBCE e tem participação de mercado de 30% no País, garantiu total de R$ 27 bilhões de recebíveis no seguro de crédito interno. Por sua vez, o grupo apresentou exposição global de 519 bilhões de euros no período.Procurados, BB, BNDES e Coface não comentaram.

Puxou a fila. Em paralelo, o BB está fechando as portas da BBTUR, da área de turismo e promoções. Entre os bancos públicos, a Caixa saiu na frente ao vender as ações do ressegurador IRB Brasil Re e engatilhar outros desinvestimentos, como a oferta subsequente da Petrobras e ainda do Banco do Brasil e Alupar, cujos papéis estão nas mãos do Fundo de Investimento do FGTS.

Referência: Estado de São Paulo