Capitolio


Previdência privada popular a partir de R$ 30 por mês

11 de fevereiro 2019

Com o aumento da expectativa de vida e a discussão sobre a nova aposentadoria, bancos estão investindo em linhas mais em conta.

A discussão da nova reforma da Previdência e o aumento da expectativa de vida da população funcionam como um gatilho: segundo especialistas, nunca o planejamento do futuro esteve tão cm moda no Brasil.

Percebendo esse maior interesse, bancos estão investindo em linhas populares de previdência privada, apostando em mensalidades mais em conta. No Santander, por exemplo, o cliente pode iniciar suas contribuições a partir de RS 30 mensais.

Na Caixa Econômica, há a possibilidade de começar a pagar uma previdência privada a partir de RS 35. Na faixa de RS 100 por mês, é possível contratar o serviço no Banescor, do banco estadual Banestes; e na Brasilprev, que tem o BB Seguros, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil.

Segundo o gestor da Valor Seguros e Previdência, Pabb Alencar, antigamente nem todo mundo tinha a preocupação de como manter o padrão de vida após parar de trabalhar.

“Culturalmente, o brasileiro não tem o costume de poupar. Só que antes, o teto da aposentadoria no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) era de 10 salários mínimos. Hoje, já está em cinco. Ainda criaram o fator previdendário, que dificulta aposentar com o beneficio integral. Agora, essa nova reforma que está em discussão é o grande gatilho para pensar mais no futuro”.

Para Alencar, muitos estão percebendo que não dá mais para contar somente com o benefício do regime geral de Previdência, que tende a ser cada vez mais curto e mais difícil de se alcançar a integral idade e o teto do INSS.

“Um número que choca é que apenas 2% da população mundial sobrevive somente com recursos próprios da aposentadoria. No Brasil, a situação é pior, apenas 1%. O restante, ou depende dos filhos e parentes ou continua trabalhando”.

Segundo o presidente do Conselho Consultivo da Associação dos Representantes de Bancos do Estado (Arbes), Jorge Eloy Domingues, para escolher o melhor plano de aposentadoria privada é preciso comparar as taxas de administração e carregamento.

Ele ainda lembrou que a previdência privada é um investimento, que vem para complementar a Previdência oficial do trabalhador.

Autor: Caio Miranda
Referência: A Tribuna Online