Capitolio Consulting


Axa deve enxugar operação no Brasil após união com XL

06 de dezembro 2018

Coluna do Broadcast

A francesa AXA deve reduzir a quantidade de empresas que possui no Brasil, após o aval final da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para a compra da rival americana XL numa transação global de US$ 15,3 bilhões. O caminho é natural. Até mesmo porque não faz muito sentido manter duas seguradoras e duas resseguradoras no mercado brasileiro. Não está definido, porém, qual marca será mantida, se AXA ou XL. A lógica de que o nome do comprador permanece caiu por terra na aquisição da Chubb Seguros pela Ace. Isso porque a marca da concorrente era mais forte. No caso de AXA e XL, contudo, além de maior, a francesa tem mais presença. Uma possibilidade é usar AXA XL, como ocorre no exterior e foi implementado em alguns e-mails corporativos no Brasil.

De novo – No Brasil, a aquisição da XL pela AXA empurrou a companhia para cerca de R$ 1,5 bilhão em prêmios emitidos, reforçando a atuação do grupo, que faz uma segunda ofensiva no mercado local. Procurada, a AXA não comentou.

Referência: Estado de São Paulo