Cremerj vai entrar com representação

Para entidade, prefeito desrespeita ‘milhares de cidadãos que estão na fila’

O Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj) informou ontem, em comunicado, que vai entrar com representação contra o prefeito Marcelo Crivella por ele ter oferecido privilégios a líderes evangélicos na realização de cirurgias de catarata e varizes nas unidades públicas da cidade.

O Cremerj informou que repudia a atitude de Crivella, por ir contra as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), que prega igualdade e universalidade no atendimento à população. Segundo o órgão, a iniciativa desrespeita “os milhares de cidadãos que estão na fila aguardando cirurgias e outros procedimentos”.

O Cremerj disse ainda que continua na luta pela unificação do Sistema de Regulação (Sisreg), que, apesar de ordem judicial, ainda não foi feita.

CORTE NAS VERBAS DA SAÚDE

No comunicado, publicado no site da entidade, o Cremerj afirma que “é importante salientar que, no ano passado, Crivella promoveu um corte de R$ 543 milhões no orçamento da Saúde, alegando que os cofres públicos estavam deficitários. Entretanto, um levantamento feito pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro revelou que a saúde não foi priorizada no contingenciamento, como determina a Constituição. É inadmissível que, após cortar verbas do setor, um chefe de governo aja beneficiando um grupo específico”.

As comissões temáticas da seção fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) vão analisar se houve ocorrência de crime de responsabilidade. Segundo Fábio Nogueira, procurador-geral da OAB-RJ, o resultado dessa análise vai ser encaminhado para o Conselho Seccional da entidade, que decidirá sobre o encaminhamento de pedido de impeachment à Câmara dos Vereadores.

— A improbidade é um dos elementos que podem dar azo ao crime de responsabilidade. Crivella agiu de modo incompatível com a dignidade do cargo — afirma Nogueira.

Ontem, cinco dias após a reunião secreta na qual Marcelo Crivella ofereceu benefícios a pastores, pelo menos três pedidos de impeachment contra o prefeito do Rio foram registrados. Os dois primeiros, que foram protocolados na Câmara dos Vereadores, foram feitos pelo vereador Átila Nunes (PMDB), e pelo deputado Marcelo Freixo. O terceiro foi apresentado pela Associação dos Servidores do Município.

Em reunião secreta no Palácio da Cidade, quarta-feira passada, Crivella ofereceu ajuda a pastores e líderes de igrejas que tenham problemas com IPTU em seus templos ou que queiram angariar fiéis que necessitem de cirurgias de catarata e varizes. Para isso, basta, segundo ele, que procurem o doutor Milton ou a Márcia, seus assessores:

— Tem pastores que estão com problemas de IPTU. Igreja não pode pagar IPTU, nem em caso de salão alugado. Mas, se você não falar com o doutor Milton, esse processo pode demorar e demorar. Nós temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na Prefeitura para esses processos andarem. Temos que dar um fim nisso. (…) Na prefeitura, estamos fazendo mutirão da catarata. A Márcia trabalha comigo há quinze anos.

Referência: O Globo