Bradesco definirá novo presidente até março

Com a saída de Lázaro Brandão, Luiz Carlos Trabuco vai acumular a presidência do conselho, pavimentando o caminho para a sucessão

O banco Bradesco deve anunciar em breve o executivo escolhido para substituir Luiz Carlos Trabuco Cappi no comando do banco, de acordo com fontes ouvidas pelo Estadão/Broadcast. Restam apenas cinco meses para a realização da assembléia que marcará a troca de bastão na instituição e o anúncio de ontem a renúncia de Lázaro de Mello Brandão da presidência do conselho de administração sinalizou que a revelação do nome do novo presidente do banco, que já teria sido escolhido, está mais próxima.

Com a saída de Brandão do conselho da instituição, o cargo passará a ser acumulado por Trabuco. O estatuto do banco, no entanto, permite que uma só pessoa exerça os dois cargos temporariamente. Por isso, a aposta é que a “solução” para a substituição do principal executivo do Bradesco, de 66 anos, seja revelada em breve.

A saída de Trabuco da presidência do Bradesco foi postergada com a ampliação da idade limite para exercício do cargo de diretor presidente, que passou de “menos de 65” para “menos de 67 anos”, em setembro de 2016. Teria pesado, na época, além da integração do HSBC, a morte de Marco Antonio Rossi, vice-presidente do banco e presidente da Bradesco Seguros, em um acidente de avião.

Trabuco vai substituir Brandão e acumular a presidência do banco e do conselho de administração até a primeira reunião do colegiado, que ocorre após a Assembleia-Geral Ordinária, prevista para março de 2018. Aos 91 anos, Brandão permanecerá, contudo, na presidência do conselho de administração dessas sociedades.

Com 75 anos de grupo, Brandão iniciou sua carreira em 1942, na Casa Bancária Almeida & Cia., instituição financeira que, em 1943, se transformou no Banco Brasileiro de Descontos, atual Bradesco, passando por todos os escalões da carreira bancária. Ele foi presidente da diretoria de janeiro de 1981 a março de 1999 e assumiu a presidência do conselho de administração da instituição em fevereiro de 1990.

Disputa

Segundo fontes próximas à instituição, dentre os cotados para assumir o comando do Bradesco, um nomes mais aventados no mercado é o do vice-presidente de tecnologia do Bradesco, Maurício Minas. Ele comandou toda a mudança tecnológica recente dentro da instituição, atuou na integração do HSBC e ainda no desenvolvimento do banco digital da instituição, o Next.

No entanto, a disputa pela presidência do Bradesco incluiria ainda os demais vice-presidentes da instituição: Alexandre Glüher, responsável pela área de relações com investidores e que teve papel crucial na integração do HSBC, maior aquisição da história do banco, e Josué Pancini, que comanda a rede de agências do banco e está há bastante tempo na cadeira de vice-presidente.

Há quem considere também os mais novatos no quarto andar da Cidade de Deus, Marcelo Noronha, que cuida de cartões e banco de investimentos, Octavio de Lazari, que responde por seguros, e André Cano, de recursos humanos. Os últimos, embora considerados na escolha do substituto do Trabuco, estão há menos tempo na cadeira de vice-presidente e, portanto, as chances seriam menores. Domingos Abreu, embora seja um forte nome no banco, estaria fora do páreo, após ser mencionado na Operação Zelotes.

Trajetória

75 anos é o período de carreira do executivo Lázaro de Mello Brandão no Bradesco – ele ingressou na instituição em 1942.

27 anos é o período em que Brandão ficou à frente do conselho.

Autor: Aline Bronzati – Referência: O Estado de São Paulo