Hapvida vai investir mais de R$ 40 milhões até 2016 em Manaus

Com o objetivo de expandir o seu atendimento, a operadora de planos de saúde particular Hapvida investirá mais de R$ 40 milhões até o ano de 2016 em Manaus. De imediato, dois hospitais e duas clínicas serão entregues em 2014, conforme o superintendente de rede própria da Hapvida, Francisco Sales Júnior.

Segundo a operadora, atualmente 228 mil são os clientes em Manaus. Conforme dados do Instituto de Estudos da Saúde Complementar (IESC), até setembro 2013, o número de beneficiários de planos médicos hospitalares no Amazonas chegou a 592.603.

No início de fevereiro, os clientes da Hapvida, segundo Sales Júnior, terão um hospital voltado a atender mães e criança, a Emergência Pediátrica Adrianópolis, na zona Centro-Sul, será entregue e receberá R$ 512 mil em equipamentos.

“Neste ano elegemos Manaus como o nosso alvo para investimentos. Este hospital no Adrianópolis será uma unidade única e exclusiva para a mulher e a criança. Antes era uma unidade de emergência, agora terá um centro obstétrico, um centro cirúrgico, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pediátrica e neonatal, unidade de internação e emergência 24h”, contou o superintendente de rede própria.

Outra aposta é no Hospital São Lucas, localizado no bairro da Aparecida, zona Sul, que atualmente passa por ampliação, terá uma torre com mais de 100 leitos para internação, e uma nova área de emergência. Conforme Salles Júnior, cerca de 50% do montante de R$ 40 milhões, será aplicado na torre do São Lucas.

“Reconhecemos que era uma unidade que carecia de investimentos, e que não tinha a emergência que gostaríamos de oferecer aos nossos clientes. Conseguimos comprar um espaço próximo ao local, e este será todo transformado. Entre janeiro e fevereiro será construído uma nova emergência, e assim vamos triplicar nossa emergência clínica traumotológica. Além disso, vamos construir um anexo de 10 andares, com mais de 100 leitos”, disse Salles.

A projeção de atendimentos, após a entrega do Hospital São Lucas, conforme o superintendente, é de 1 milhão de atendimentos. Em 2013,o número foi de 400 mil.

As duas hapclínicas, uma na Cidade Nova, que será entregue nesta segunda (27), e uma no bairro da Cachoeirinha, fazem parte da aposta em expansão da operadora Hapvida neste ano de 2014. Além destas, um centro de medicina preventiva e uma central de atendimento ao cliente devem ser entregues até 2016, com isso a Hapvida finca 10 unidades em Manaus.

“Prevemos, de todos as cidades que atendemos, Manaus com o maior volume de crescimento. Isso significa um grande salto, pois acertamos o produto, temos boas negociações, entre outras coisas que foram dando certo”, contou a diretora de marketing da Hapvida, Simone Varella.

Conforme Simone, o lucro nacional da operadora em 2013 foi de 12,5%, e em Manaus, o número de crescimento foi de 20 %. “O montante de investimento para todo o Brasil é de R$ 120 milhões. Analisando proporcionalmente ao número de vidas, pode ter certeza que Manaus é um dos grandes beneficiados neste ano”.

Com o investimento, a geração de emprego em Manaus, por parte da operadora, deve acrescentar 150 funcionários em  todas unidades e áreas no primeiro semestre de 2014. Atualmente, 1200 funcionários trabalham na Hapvida na capital amazonense.

Saúde como um novo negócio

A operadora trabalha com duas linhas de negócios, conforme Simone, a venda de planos de saúde a pessoa física e a jurídica. “Acreditamos na pessoa física, e acredito que não se pode virar as costas para a população assim. Temos propostas também para pequenas e grandes empresas”.

Há 20 anos no mercado, e a 10 anos em Manaus, a Hapvida tem uma gestão direta dos seus serviços com uma rede interna de médicos.

“Vimos que só podíamos ter nosso pilar de rede própria se internalizássemos o processo e oferecêssemos os serviços, além de geri-los. Afinal, se eu for em um hospital credenciado, não sei qual médico que está atendendo, o tempo de espera, entre outras questões. Por termos uma gestão direta no nosso serviço é possível saber a quanto tempo o paciente está esperando, qual médico está atendendo, e saber o que estão fazendo com o paciente. Dando assim uma qualidade ao serviço”, frisou Simone.

Autor: Nathane Dovale – Referência: D24am.com